ABCZ anuncia equiparação de valores de cotas de receptoras

Medida pretende reduzir custos para associados e contribuir para o aperfeiçoamento do PMGZ

A diretoria da Associação Brasileira dos Criadores do Zebu decidiu, durante a última reunião (22/02), por equiparar os valores de cotas de receptoras zebuínas e não zebuínas. A mudança passa a valer a partir do dia 6 de março e visa atender dois dos principais objetivos da atual gestão da entidade que são promover o melhoramento genético e, ao mesmo tempo, reduzir os custos para o associado.

“Muitos veterinários, representantes de laboratórios e criadores questionavam essa diferenciação e relatavam que tinham diminuído a utilização de biotecnologias como Transferência de Embrião (TE) e Fecundação In Vitro (FIV). Nossa intenção é que, com essa medida, possamos estimular a utilização dessas ferramentas de seleção e, principalmente, desonerar o nosso associado neste momento em que os custos de produção estão cada vez maiores”, relata Arnaldo Manuel de Souza Machado Borges, presidente da ABCZ.

Desde 2014, a entidade aplicava valores diferentes para comunicação de fêmeas receptoras zebuínas e para as não zebuínas. Com a nova medida, o produtor terá o mesmo custo de registro para os dois casos, sendo que passará a vigorará o menor valor antes aplicado que é de 75% do valor praticado para RGD (Registro Genealógico Definitivo).

Segundo Luiz Antonio Josahkian, Superintendente Técnico ABCZ, a medida vai contribuir para o aperfeiçoamento do Programa de Melhoramento Genético de Zebuínos (PMGZ), sendo que a Associação deve receber um maior número de comunicações corretas. “A escolha da receptora não afeta na qualidade técnica. O importante é a genética da doadora. E, com certeza, a entidade continuará valorizando os animais zebuínos e estimulando o seu uso”, afirma.

A equipe técnica da ABCZ está à disposição para esclarecer dúvidas dos associados. O telefone da associação é: (34) 3319-3900.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com