Alimentação na dose certa garante fertilidade do rebanho

Seja na monta natural ou na inseminação artificial, os touros são peça importante na estação de monta, que em muitas regiões do país está começando. O cuidado com o manejo, sanidade e nutrição desses animais é que vão garantir uma vida útil de serviço mais longeva. Como um reprodutor consegue trabalhar em média cinco anos consecutivos, pode deixar ao longo da vida uma prole de cerca de 150 bezerros.

A parte nutricional também é decisiva do desempenho reprodutivo das fêmeas. Na Fazenda Cibrapa, em Barra do Garças/MT, que pertence ao Grupo Carpa, as 10 mil fêmeas e os 320 touros selecionados para a estação de monta recebem cuidados extras na alimentação para que estejam em ótimas condições corporais e possam render muitos bezerros no final da estação de monta.  As vacas de primeira cria são consideradas o grande gargalo dos índices produtivos de uma estação de monta. Nesta fase da vida do animal os nutrientes são distribuídos preferencialmente para produção de leite, crescimento e, por último, reprodução. Este fato faz com que os índices de concepção da categoria sejam bastante baixos. “É preciso garantir uma boa condição corporal para as novilhas que serão emprenhadas, pois essa estratégia é essencial para que estas futuras primíparas possam ser trabalhadas rapidamente e de forma eficaz na estação de monta subsequente. Elas precisam continuar ganhando peso para chegarem em boas condições na estação de monta”, explica Marcos Junqueira Cardoso, administrador da Fazenda Cibrapa. A Carpa Serrana completa 45 anos de seleção em 2016.

Para evitar problemas de fertilidade, as fêmeas da Carpa Serrana recebem uma suplementação específica a partir de novembro, o que continuará até o final da estação de monta, em fevereiro. Aliado a isso, é com o bom pasto da área de Integração Lavoura-Pecuária da Carpa Serrana que a vacada terá a alimentação necessária para este período. Consorciado com a soja foi plantado o capim Brachiaria Ruziziensis, que comporta bem em solos de fertilidade média a alta, como os de lavoura.

Como existem animais que param de se alimentar quando estão acasalando, o monitoramento frequente dos touros durante o serviço ajuda na adoção de um manejo nutricional correto. A alimentação deve ser ajustada, seja por meio de pastagens cultivadas de melhor qualidade, reserva de feno em pé ou utilização de algum tipo de suplemento. A adequada condição corporal permite fecundar o maior número possível de vacas em um curto espaço de tempo.

O manejo nutricional adotado pela Carpa Serrana infelizmente não é a realidade de boa parte das propriedades brasileiras. Como os pastos não suprem todas as necessidades minerais dos animais é importante fazer a suplementação de forma correta utilizando uma mistura com todos os macro e micro elementos no concentrado. Hoje, as tecnologias aplicadas aos produtos permitem maior eficiência reprodutiva e produtiva, mas a suplementação precisa ser feita de forma estratégica para não acarretar prejuízos. O importante é procurar assistência técnica para definir quantidade que será fornecida ao rebanho e qual o tipo de suplementação.

Sobre a Carpa

Há mais de 20 anos a Carpa realizou o seu primeiro abate técnico. Desde de então, alia avaliação genética com equilíbrios morfológico e zootécnico para obter um Nelore altamente produtivo, de grande desempenho frigorífico, sem perder as características raciais. O criatório tem seu rebanho avaliado pelos programas PMGZ e ANCP.

Na Fazenda Fazendinha, em Serrana, a Carpa trabalha com animais Puros de Origem (PO), focados na seleção de elite. Já na Fazenda Cibrapa, em Barra do Garças (MT), é mantido o núcleo PO com matrizes e receptoras Nelore de FIV, técnica na qual a grife é percursora no País. Todo o rebanho comercial é 100% Nelore.

 

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com