Antonio Prata: uma vida dedicada à Pecuária

Prestes à completar 89 anos, o titular da Prata Agropecuária comanda com sucesso a seleção de várias raças bovinas e de equinos.

Primeiro presidente da Associação “Os Independentes”, entidade que comanda a famosa Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos, o pecuarista Antônio Renato Prata acaba de ser homenageado pelo seu pioneirismo. Em comemoração aos 63 anos da entidade, foi inaugurado no dia 14 de julho, o busto de Pratinha, como é conhecido por todos. Uma história que começou em 1955, quando, junto com alguns amigos, fundou “Os Independentes”. Na época, a intenção do grupo era arrecadar recursos para entidades assistenciais durante os festejos do aniversário da cidade. Como Pratinha foi o autor da ideia, coube a ele a incumbência de presidir o grupo. “Nunca imaginei que a Festa chegaria aonde chegou. Ela acontecia em um local aberto, na praça da cidade. Na época, fizemos um concurso de Catireiro, que fez muito sucesso! A catira teria sumido sem a Festa de Barretos e o Berrante também! Foi um resgate dessa cultura”, assegura o titular da Prata Agropecuária, que é criador de Quarto de Milha desde a década de 1970.

Aos 88 anos, Pratinha é um dos mais tradicionais criadores das raças Nelore, Brahman, Brangus, Braford, além do Quarto de Milha. A pecuária sempre fez parte da história da família. O patriarca, Joaquim Prata Júnior, percorria várias regiões do País comercializando gado, junto com o filho mais velho, Gerson Prata, um dos fundadores da leiloeira Remate e responsável por levar o Nelore para a Argentina e para outros países da América do Sul.

Pratinha seguiu os passos do pai e do irmão na pecuária. Formou-se em Agronomia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro na década de 1950. Na época, o setor dava início a uma série histórica de mais de 50% de crescimento do rebanho ao ano. Diante desse cenário, e já com o diploma de agrônomo, passou a trabalhar com a venda de gado. Também firmou uma parceria com um dos pioneiros das raças Nelore e Brahman e seu cunhado, Rubico Carvalho. Juntos, fundaram a fábrica de rações Bandeirantes, uma das cinco maiores do estado de São Paulo na década de 60. “O mercado de rações estava aquecido, mas optei por concentrar os negócios na criação de Nelore. Era 1962, último ano da importação de animais zebuínos vivos da Índia feita por pioneiros do zebu, dentre eles Rubico. Os exemplares importados na época foram decisivos para a evolução da raça no Brasil”, lembra Pratinha. O rebanho Nelore mocho da Prata Agropecuária está concentrado na Fazenda 2 Irmãos, em Tarabai/SP.

Sempre atento às tendências de mercado, Pratinha decidiu ampliar os negócios ao conhecer uma nova raça que estava sendo importada dos Estados Unidos pelo cunhado Rubico: o Brahman. “Entre os animais importados Brahman de pelagem cinza, tinha um tourinho de pelagem vermelha que usei em cruzamento com vacas Tabapuã vermelhas. O resultado foi muito bom e decidi importar mil doses de sêmen do melhor touro Brahman vermelho, Polled Power. Depois, inseri novas linhagens, inclusive da Austrália, de onde importamos sêmen do grande raçador Roshemore. Hoje, temos um Brahman vermelho de grande padronização e qualidade genética”, lembra. Atualmente, o Brahman vermelho da Prata Agropecuária está concentrado na Fazenda Belo Horizonte, em Paranavaí/PR, primeira propriedade do pecuarista Pratinha, um presente do sogro Rui Coimbra, como um grande incentivo para que continuasse na pecuária. Já o Brahman baio é selecionado na Fazenda Concórdia, em Narandiba/SP.

Outras duas raças bovinas de corte selecionadas pela Prata Agropecuária são as taurinas Brangus e Braford. Já são 28 anos de seleção. O rebanho é totalmente adaptado ao clima tropical, apresentando alto desempenho na pecuária a pasto. A Fazenda Rio Bonito, em Umuarama/PR, concentra os animais Brangus. Já o Braford é selecionado na região Centro-Oeste, na Fazenda Engano, em Porto Murtinho/MS. Apesar de ser um taurino, o Braford da Prata é bem adaptado às condições de clima mais adversas e pode ser criado em qualquer região do Brasil.

O criador quer comemorar seus 89 anos em agosto fazendo o que mais gosta. No dia 25 de agosto, realizará o 21º Leilão da Fazenda 2 Irmãos, a partir das 10 horas, a sede da propriedade, e terá a venda de touros e novilhas Nelore, Brahman baio e vermelho, Quarto de Milha e doses de sêmen.  O leilão terá transmissão ao vivo pelo site da Prata Agropecuária (www.prataagropecuaria.com.br).