Associação Brasileira de Criadores, 90 anos

Prêmio “Personalidades do Ano” abre um importante período para comemorar as nove décadas de atividades da Associação Brasileira de Criadores e homenagear as inúmeras contribuições de importantes homens da pecuária nacional

Prestes a completar 90 anos, dia 7 de dezembro, a Associação Brasileira de Criadores (ABC) realizará a 14ª edição do Prêmio “Personalidades do Ano”. Na ocasião a bovinocultura conhecerá técnicos, políticos, acadêmicos, pesquisadores e produtores ligados à pecuária brasileira, cujo desempenho em 2015 foi notável. Além da honraria, a entidade que em 2016 completará nove décadas de existência, em jornada importante na organização de empresários e profissionais que dedicaram sua vida à atividade de criar animais para fins econômicos, lançará um livro comemorativo com toda sua história, “quase exemplar”, como define o presidente do seu Conselho de Administração, Luiz Alberto Moreira Ferreira.

A ABC foi fundada em 1926, com o nome Federação Paulista dos Criadores de Bovinos, quando um grupo de brasileiros, cafeicultores e produtores de leite, tomou a iniciativa de organizar-se em uma associação para desenvolver suas atividades em prol da sociedade. Trata-se de uma das mais antigas instituições de representação do agronegócio brasileiro e esteve durante toda a sua história reunindo sob suas asas republicanas e democráticas as principais lideranças e os mais lúcidos pensadores do setor.

O livro comemorativo dos 90 anos procura mostrar essa condição única, essencial para que a entidade sempre pudesse se colocar na vanguarda das melhores ideias e propostas de soluções de crises, além de formulação de políticas públicas em defesa da agropecuária nacional, ao mesmo tempo informando seus associados, autoridades e todo o público sobre inovações tecnológicas que favorecessem a competitividade e o avanço sustentado de criadores e produtores rurais em geral.

A descrição traz com muito orgulho toda essa história sobre o início da pecuária de leite e, logo em seguida, da pecuária de corte. A obra também é uma forma de homenagear inúmeros paulistas e brasileiros, agradecendo por esse passado notável, sempre olhando para o futuro. O trabalho é produto de pesquisa e se baseou em 829 edições da “Revista dos Criadores”, publicação regular que a ABC lançou em 1930, e tornou-se um patrimônio da pecuária nacional.

A pecuária brasileira deve à ABC o protagonismo da organização do registro genealógico de raças, base da edificação de um setor que vem impressionando o mundo agrícola. Em sua história de amplo êxito, soube identificar ações estratégicas e convergir em abordagem empresarial para a atividade que se posta soberana nos mercados nacional e internacional. Em seus quadros a ABC sempre reuniu, com harmonia, homens competentes com espírito desenvolvimentista. O enfrentamento de pautas polêmicas sempre foi e continuará sendo o dínamo da entidade.

Em 1º de março de 1945 foi mudada sua denominação de Federação para Associação Paulista de Criadores de Bovinos. Somente em 17 de agosto de 1972 é que sua razão social passou a ser conhecida como Associação Brasileira de Criadores. Com os novos desígnios, galgou uma atuação de âmbito nacional, reunindo pecuaristas de todo Brasil. Registrada no Ministério da Agricultura sob o n.º 35, em 20 de outubro de 1948, como Certificadora de Registro Genealógico de Bovinos, a ABC foi declarada também entidade de utilidade pública, por meio do Decreto Estadual n.º 33.811, de 1958.

As atribuições já repassadas marcaram bons tempos na pecuária nacional. Entre os grandes projetos desenvolvidos junto ao rebanho bovino brasileiro pela entidade, destacam-se o serviço de registro genealógico, o controle leiteiro e o controle de desenvolvimento ponderal. Todas essas atividades eram realizadas pelos técnicos e veterinários da ABC, em laboratórios próprios. A partir de 1970, as análises passaram a serem realizadas no Instituto de Zootecnia de Nova Odessa (IZ) e, em 1999, foram transferidas totalmente para a Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz (Fealq).

Para manter sua tradição e representatividade, a ABC passa por um processo de revitalização administrativa e institucional. O atual Conselho de Administração, que tomou posse em janeiro de 2013 para um mandato de três anos, coloca em prática propostas que visam modernizar e dinamizar a entidade. Presidente desde 2001, o engenheiro agrônomo Luiz Alberto Moreira Ferreira, que está em seu quinto mandato, tem como meta ampliar a prestação de serviços aos associados e, para tanto, engajar-se no desenvolvimento de diferentes projetos.

O mais importante, em fase final de elaboração, é o “Portal do Conhecimento”, que entrará em atividade no início do próximo ano. Este “Portal” foi extremamente bem recebido pela comunidade científica, aprovado pelo ITAL, I.Z., Instituto Agronômico e Esalq, entre outros e irá divulgar pesquisas, estudos, teses, etc. publicando o que de melhor é produzido nos institutos de pesquisa.

 Personalidades do Ano

A homenagem acontecerá dia 7 de dezembro, no Anhembi Tênis Clube, Zona Oeste da cidade de São Paulo (SP). “A premiação vem desde 2002 e já agraciou personalidades com trabalhos destacados em suas respectivas áreas. Entre eles, Roberto Rodrigues, Marcus Vinícius Pratini de Moraes, João Carlos de Souza Meirelles, Antônio Ernesto Salvo, Kátia Abreu, Silvio Crestana, Ronaldo Caiado, João Almeida Sampaio Filho, Antônio Duarte Nogueira Júnior, Antônio Carlos de Mendes Thame e Monika Bergamashi. Nosso conselho, por meio de suas discussões, consegue manter bons contatos quanto à importância do que se vem realizando no setor”, relata e explica Moreira Ferreira, o anfitrião.

Temperado por um “hall” de políticos militantes fervorosos do agronegócio, o prêmio da Associação sempre trabalha importantes personalidades da vida produtora porteira adentro. São pessoas que se dedicam diuturnamente pela agropecuária. Figuram entre os lembrados Jovelino Carvalho Mineiro Filho, Carlos Viacava, Roberto Hugo Jank, Ovídio Carlos de Brito, Fernando Penteado Cardoso, Antônio Jorge Camardelli, Lair Antônio de Souza e Jorge Antonio Rubez; entre outros.

E a ABC também não ignora contribuições técnicas e acadêmicas. O presidente da entidade enfileira Sergio De Zen, Vidal Pedroso de Faria, Antonio Roque Dechen e Fernando Homem de Melo engenheiros agrônomos pela Esalq. Ainda reconhece a importância da comunicação de qualidade, fato determinante na formação de opinião e transferência de tecnologias. Reconheceu profissionais de mídia como José Carlos Cafundó de Moraes, Donário Lopes de Almeida, Carlos Alberto da Silva, Daniel Bilk Costa e Demétrio Costa.

“Desta forma, com simplicidade, procuramos notabilizar papéis fundamentais no desenvolvimento da pecuária nacional, observado principalmente nas últimas décadas, exatamente aquelas que nos colocaram entre os protagonistas no fornecimento mundial de proteína animal”, conclui Moreira Ferreira, presidente da ABC.

Assessoria de Imprensa ABC | assessoria@publique.com
Cel.: 11 9.9382-1999

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com