Em ano de ajustes, couro brasileiro é destaque na Itália

Agregar valor ao couro com vistas às exportações tem se mostrado uma estratégia eficiente em anos de mercado em fase de ajuste, como está sendo 2017. A Itália, um dos mais exigentes países importadores de peles, é prova desta lógica: enquanto outras nações compradoras de couro apresentam queda em pedidos, os italianos registram crescimento de 16,2% nas importações de couros brasileiros de janeiro a setembro. Esse dado reforça a importância da participação do Brasil na mais recente edição da feira Lineapelle, que ocorreu entre os dias 4 e 6 de outubro, em Milão.

Sete grupos empresariais brasileiros apresentaram seus couros no evento com o apoio do projeto Brazilian Leather, uma iniciativa de incentivo às exportações realizada pelo Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Os curtumes Arte da Pele, Courovale by BCM, Bannach, Nova Kaeru, Krumenauer, Natur e Soubach mostraram o potencial do Brasil em fornecer couros acabados para marcas de qualidade distinta no alto padrão europeu.

Joel Krummenauer, do Cortume Krumenauer, destacou como ponto positivo da feira o reencontro com clientes antigos e a possibilidade de conhecer novos contatos. Além da plataforma comercial, os espaços de tendências e palestras da Lineapelle foram outras atrações interessantes para o público visitante, como mencionou Letícia Luft, gerente do projeto Brazilian Leather. “Ideias inovadoras no nosso setor são sempre compartilhadas nessa feira, que é também um momento para atualização sobre a indústria”, disse. Letícia recepcionou primeiro dia da feira a visita de representantes do Consulado-Geral do Brasil em Milão, apresentando todo o trabalho dos curtumes brasileiros presentes ao evento.