Folheto ensina a ajudar bezerros com dificuldade nas primeiras mamadas

O Grupo Etco – Grupo de Estudos e Pesquisas em Etologia e Ecologia Animal desenvolveu o Manual de Boas Práticas de Manejo de Bezerros, que pretende facilitar o ganho de peso desses animais nas fazendas que desenvolvem a fase de cria de bovinos de corte.

O trabalho foi desenvolvido com base nos conhecimentos adquiridos ao longo de 10 anos de estudos, e na observação do comportamento de vacas e bezerros logo após o parto, bem como de suas interações com humanos durante a realização dos manejos de rotina.
Após a elaboração do manual, o Grupo testou as recomendações na prática, em fazendas comerciais.
Os autores são os especialistas: Mateus J. R. Paranhos da Costa, do Departamento de Zootecnia, FCAV-UNESP Jaboticabal-SP, Anita Schmidek, da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios – APTA, Pólo Regional Alta Mogiana, Colina-SP e Luciandra Macedo de Toledo, da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios – APTA, Instituto de Zootecnia, Nova Odessa-SP.
Veja um trecho do manual:
Durante as vistorias no pasto maternidade é importante observar se o bezerro enfrenta dificuldades para mamar. Isto pode ser feito observando seus comportamentos, além dos tetos da vaca e a barriga do bezerro. Se o bezerro estiver abatido, fraco, se os tetos estiverem cheios e brilhantes ou se o bezerro estiver com a barriga vazia (vazio fundo), é sinal que não mamou. Isto acontece com maior frequência em vacas com tetos grandes e úberes pendulosos e é comum também com vacas de primeira cria ou em partos de gêmeos. No momento da identificação, no mais tardar, devemos checar se o bezerro mamou e no caso de não ter mamado devemos ajudá-lo, caso contrário sua morte é certa.
Quando perceber que o bezerro não mamou conduza-o com a vaca ao curral, procedendo a apartação e contenção da vaca no tronco, para em seguida amarrar suas patas de trás. Quando a vaca estiver bem contida massageie levemente o úbere, tirando dois ou três jatos de leite de cada teto. Logo em seguida posicione o bezerro próximo ao úbere e com dois dedos alise o céu de sua boca até que ele comece a chupá-los. Então, com a outra mão, comece a espirrar leite em sua boca para, pouco a pouco, aproximá-la de um dos tetos até que o bezerro o abocanhe e mame. Caso o bezerro perca o teto, repita o processo. O ideal é deixar o bezerro mamar até que fique satisfeito, apresentando a barriga cheia.
No caso do pasto maternidade estar distante do curral, é recomendado que a vaca seja conduzida ao passo, porém o bezerro deve receber ajuda, podendo ser levado ao curral na cabeça do arreio, em carreta ou outro transporte disponível. Impor longas caminhadas a bezerros fracos e que não tenham mamado pode esgotá-los, deixando-os ainda mais fracos. No caso do bezerro ser levado a cavalo, é recomendado que uma ou duas pessoas conduzam a vaca à frente, pois nesta situação, muitas vacas ficam nervosas, podendo oferecer risco à quem leva o bezerro.
Leia a íntegra clicando aqui