Dia de campo sobre ILPF com mais de 800 pessoas

Evento foi realizado na Fazenda Campina, em Cauiá (SP), com a presença de autoridades e personalidades do setor

Mais de 800 pessoas participaram da Reunião Técnica e Dia de Campo sobre
sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) na Fazenda Campina, localizada em Cauiá, região oeste de São Paulo. Os eventos foram realizados pelo Grupo CV Nelore Mocho em parceria com a Embrapa, a Cocamar e a Unoeste, com apoio da Rede de Fomento de ILPF.
Produtores rurais, técnicos e estudantes conheceram alternativas de ILP para melhorar a produtividade, a renda e a sustentabilidade das propriedades rurais da região. No oeste paulista, que tem solos arenosos, predomina a economia rural voltada principalmente à pecuária de corte.
O evento contou com a presença do secretário estadual de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, de diretores da Cocamar, como o presidente do conselho deliberativo, Luiz Lourenço e do presidente-executivo, José Fernandes Jardim Júnior, do presidente da John Deere Brasil, Paulo Hermann, dos pró-reitores da Unoeste, José Eduardo Creste (Acadêmico) e Adilson Guelfi (Pesquisa e Pós-graduação), do chefe-adjunto de transferência de tecnologia da Embrapa, Sebastião Pedro da Silva, do presidente da Schaeffler Brasil, Antonio Marcondes de Almeida Filho e do chefe geral da Embrapa Pecuária Sudeste, Rui Machado, além de autoridades locais.
“Durante muito tempo, o Estado de São Paulo foi o maior polo de produção agropecuária do Brasil. Hoje, apesar disso não ser mais uma realidade, o Estado continua na vanguarda da difusão de tecnologias, como os sistemas integrados, por meio de institutos de pesquisa e de ensino, públicos e particulares”, destacou o secretário na abertura da reunião técnica.
No dia de campo, foram apresentadas seis estações: potencial de uso de solos arenosos; sistemas de integração lavoura-pecuária para as regiões oeste de São Paulo e leste de Minas Gerais; milho-silagem consorciado com brachiara pasto de inverno e palhada para o plantio direto; estabelecimento de pastagem pós-soja (inverno e definitivo) e resultado da produção de soja na Fazenda Campina; recria e precocidade no pasto de inverno pós-soja; e apresentação dos animais ofertados no 57º Leilão CV Nelore Mocho.
Ricardo Viacava explicou o que foi feito na propriedade: “estamos implantando o sistema de integração gradativamente. No ano de 2013, que foi considerado como o ano-base, tínhamos uma área destinada à pecuária de 2.782 hectares, o que dava uma lotação de 1,3 UA por hectare. No primeiro ano de integração, tivemos uma redução na área de 13,5%, passando para 2.408 hectares. A lotação cresceu 23% para 1,6 UA por hectare. Para isso, tivemos uma produção estratégica de forragem para fornecer ao gado no inverno na forma de silagem (Capim, Milho e Milheto + Marandu + Guandu)”.
“Quando comparamos o ano de 2015 com o ano-base, reduzimos a área em 14,3% e a lotação cresceu 47%, chegando a 1,9 UA por hectare. Apesar do aumento expressivo da lotação, o desemprenho médio do gado foi muito superior ao ano-base. Em 2015, recriamos toda a nossa desmama nos pastos de inverno, pós-agricultura, e obtivemos um desempenho médio de 600 gramas/dia no período mais crítico do ano, sem fornecer nenhuma forma de suplementação complementar, diferente dos anos anteriores, onde fornecíamos silagem e 1kg de concentrado para toda a categoria de desmama”, completou.
“Ficamos felizes em promover essa ação para dividir com outras pessoas a nossa experiência com uma prática que nos trouxe muitos benefícios”, finalizou Carlos Viacava.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com