Novilho precoce: sistema produz bezerros com 250 kg em MS

Estratégias de reprodução e nutrição diferenciadas em bezerros elevam a prenhez e produzem animais de alto potencial na região do Pantanal em Mato Grosso do Sul. Lá bezerros estão sendo desmamados aos oito meses de idade com 250 kg, diz o pesquisador Ériklis Nogueira da Embrapa Pantanal. Em condições semelhantes, mas sem essas técnicas, um bezerro cruzado costuma ter cerca de 50 kg a menos.

Os animais foram obtidos por meio de estratégias produtivas e reprodutivas elaboradas por meio do projeto “+ Cria”, coordenado pela unidade pantaneira de pesquisa da Embrapa dentro do arranjo “+ Precoce”, liderado pela Embrapa Gado de Corte. Os estudos investigam alternativas para aprimorar a produção do novilho precoce desde os primeiros estágios.

“Os objetivos principais do ‘+ Cria’ são aumentar o número de bezerros e a qualidade”, informa Nogueira. Para isso, a equipe considerou estratégias reprodutivas e de manejo nutricional e sanitário como a Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IAFT), Transferência de Embriões em Tempo Fixo (TETF), escolha de genética e estratégias de suplementação dos bezerros. Na IATF, os cios das fêmeas são programados e sincronizados para aumentar a eficiência reprodutiva e, na TETF, o embrião é produzido em laboratório e transferido para as receptoras. “Hoje, estamos conseguindo apresentar alternativas reais de aumento de produção e de qualidade dos animais”, afirma o especialista.

Até o momento, cerca de 5.000 vacas foram avaliadas no Pantanal e no Planalto de MS; mais de 2.500 foram inseminadas por meio do projeto e os bezerros já nasceram.

Clique aqui e acesse a matéria completa.

Fonte: Revista AG