Projeto Pecuário Carpa avança com sucesso

Carpa investe na Integração Lavoura-Pecuária e inaugura silos para estocagem de grãos em fevereiro.

A grande estrutura prateada já impressiona de longe quem chega à Fazenda Cibrapa, em Barra do Garças/MT. O complexo para processamento de grãos é dividido em três silos, com capacidade para armazenar 70 mil sacas cada. Um silo pulmão de 10 mil sacas, um silo de expedição de 1,8 mil sacas, além das áreas da pré-limpeza e do secador que, somadas, comportam 300 toneladas. O projeto entra em funcionamento no próximo mês.

O gerente de pecuária da Carpa, Marcos Junqueira Cardoso, diz que a produção de soja no Vale do Araguaia é uma das vantagens da adoção do sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP), que teve sua primeira área plantada há cerca de uma década. “O objetivo inicial era aproveitar ao máximo o solo e melhorar gradativamente as áreas de pastagens, mas hoje temos na lavoura outra fonte de renda que proporciona redução de custos da pecuária com aumento de produtividade”, conta.

Sobre a decisão pelos investimentos no silo, Cardoso destaca os ganhos para a produção, que têm reflexos até no confinamento do gado. “A importância de montar os silos é conseguir baratear nosso custo de transporte e armazenagem e, de quebra, podemos ficar com os subprodutos da soja, como a casquinha e a bandinha, para serem usados no confinamento. Esses materiais, quando a soja é armazenada fora da fazenda, ficam para a empresa prestadora de serviço”, conclui.

O sistema de ILP da Carpa já é desenvolvido em quase três mil hectares. A partir desta safra, serão abertos mais 600 ha por ano, até a área total da integração atingir 7.200 ha de terras da fazenda.

“Quando chegar esse momento, teremos 6.000 ha de soja e mais 1.200 ha plantados com capim. Em períodos de 18 meses, as áreas de capim são alternadas, mantendo essa relação. A principal vantagem do processo é que sempre teremos pastos de alta qualidade na fazenda, à disposição da genética Carpa, inclusive nos períodos mais